Youtube
Instagram
Facebook
Menu
Fechar
Conheça a origem e os benefícios do extrato de própolis

Oriundo das produções das abelhas, o composto é extremamente recomendado para tratamentos de diversas doenças

Subproduto do trabalho das abelhas, a própolis é uma substância que reveste a colmeia. Já dentro da casa destes insetos, ela protege a estrutura e funciona como agente termorregulador, com propriedades antissépticas, que inibem a proliferação de micro-organismos nas regiões de reprodução e cria. “Para a produção da própolis, as abelhas usam a matéria-prima coletada de diversas partes da planta, como broto, botões florais, exsudatos resinosos e outras partes do tecido vegetal”, explica Bruno Takatsu, nutrólogo da Hōraios Estética. A produção também é fomentada por compostos vindos das abelhas. “Essa mistura é enriquecida com secreções salivares e enzimáticas da própria abelha e também possui 5% de pólen em sua composição”, completa a nutricionista Muriely Verdin.

Mas muito além das funções entre os animais, a mistura é bem-vinda ao organismo, trazendo uma série de benefícios comprovados cientificamente. “Nos últimos anos foi demonstrado que alguns tipos de própolis apresentam atividade antioxidante, hipotensiva, anestésica, anticâncer, anti-HIV e anticariogênica”, destaca Bruno. Tais propriedades permitem tanto a ingestão quanto o uso tópico, por ser altamente anti-inflamatório, podendo atuar na regeneração de tecidos, em problemas como queimaduras, psoríase, dermatites, úlceras e herpes.

Além de enfermidades da pele, existem outros benefícios creditados ao composto. “Uma revisão de 2017 relaciona os benefícios do uso da própolis na saúde a distúrbios gastrointestinais, problemas ginecológicos e orais”, exemplifica Bel Fagundes, nutricionista da Clínica Conde. No combate às alergias, Muriely cita um estudo realizado por Cristiana Madjarof, pesquisadora da Unicamp. “Realizadas em camundongos, as análises com a própolis brasileira, mostram que ela pode ser eficaz no alívio dos sintomas da rinite alérgica, devido à inibição da liberação de histamina”, detalha. Porém, a profissional alerta que as vantagens aparecem somente após a administração repetitiva a partir de duas semanas.

O ingrediente possui variantes que devem ser levadas em consideração. “Cerca de 4 mil substâncias do grupo dos flavonoides já foram encontradas na própolis. A quantidade desses compostos é utilizada como índice para qualificar as amostras de própolis”, aponta Muriely. Essas variedades podem ser decorrentes da pureza do produto, do modo de extração e principalmente da região de produção. “A resina contida na própolis é obtida na vegetação próxima a colmeia. As características fitogeográficas que ocorrem ali são o principal determinante da composição química. A sazonalidade também influencia”, esmiúça a nutricionista. E nós, brasileiros, saímos na vantagem, já que a própolis produzida em regiões tropicais possui aplicações farmacológicas mais amplas, quando comparadas à produção em áreas temperadas. “A própolis do Brasil foi dividida em 12 grupos de acordo com a sua composição química, que também leva a diferenças em propriedades biológicas”, afirma Muriely. Mas, acima de tudo, alguns componentes, como o pólen são gerais, o que torna a ação terapêutica válida pelo mundo todo, mesmo que haja versões mais ricas que as outras.

Tal característica pede cuidado na hora de eleger o tipo da própolis para a compra. “Os benefícios não dependem somente da quantidade de ingestão. Primeiramente é necessário saber qual dos inúmeros benefícios é desejado”, alerta Muriely. Com a ajuda de um especialista, é necessário encontrar o componente químico que desempenha a função ideal, a fim de garantir benefícios realmente concretos.

“Estudos apontam que 30 gotas do extrato 1 vez ao dia já traria benefícios à saúde. Porém, caso tenha uma dor de garganta, por exemplo, a dose passa a ser de 30 gotas, quatro vezes ao dia”, exemplifica Bel. “No caso de crianças, a medida é uma gota por quilo, fracionando a quantidade em três ou quatro vezes ao dia. Para elas, é indicado o extrato aquoso, sem álcool na composição”, completa o nutrólogo. A contraindicação geral é apenas para pessoas alérgicas ao ingrediente. Também pode-se consumir por meio de alimentos. Além da própolis pura, existem opções de mel e geleias que levam a substância em sua composição.

Fonte: Revista Casa e Jardim

COMENTÁRIOS
Comentários  (0) Comentário(s)
Comentários
HŌRAIOS
FONES: 11 3842-2323 | 11 3842-2626 – WHATSAPP: 11 97181-1101 – RUA DIOGO JACOME, 468 – VILA NOVA CONCEIÇÃO – SÃO PAULO – SP – CEP.: 04512-001 Clique aqui para obter a rota Waze - ATENDIMENTO@HORAIOS.COM.BR

WhatsApp chat